Carta aberta a Chico: tire da Cultura a marca Roda Viva. Por Paulo Nogueira

por : Paulo Nogueirapor : Paulo Nogueira

Caro Chico:

Você já parou para pensar no que estão fazendo com uma de suas marcas mais notáveis, Roda Viva?

É um trabalho de destruição semana após semana. Um bom exemplo disso é o programa desta semana com Michel Temer.

Alguém notou: a Cultura já tomara o Roda Viva para fazer propaganda do governo estadual. Agora está repetindo a dose com o governo federal.

Os valores ali — se é que se pode chamar de valores — são a exata negação dos propagados por você em Roda Viva, peça e música.

A plutocracia brasileira tem o mau hábito de se apropriar de tudo, como se fosse dela desde tempos imemoriais.

Mas Roda Viva é sua, sua e apenas sua — e do povo sofrido brasileiro, os Pedros Pedreiros.

Faça alguma coisa para que devolvam aos Pedros Pedreiros algo tão épico quanto Roda Viva. Recorra à Justiça.

Na prática, você estará agindo como recomendou, celebremente, o jurista alemão do passado Rudolph von Ihering.

Ihering defendeu a tese de que um injustiçado tinha o dever de procurar a Justiça em nome não apenas dele, mas da sociedade.

Quem não faz isso age como um verme e não tem do que se queixar, escreveu Ihering.

A Justiça se aprimora quando os injustiçados reclamam reparação, e toda a sociedade se beneficia disso. Era a grande e inovadora tese de Ihering.

Lula, recentemente, passou a fazer o que o jurista alemão prescrevia. Está processando publicações e jornalistas que o caluniam.

Você pode argumentar que a Justiça brasileira é leniente para esse tipo de coisa – destruir reputações de pessoas de esquerda, como Lula e você mesmo.

Mas você faz caluniadores pensarem duas ou três vezes antes de atacar sem provas alguém caso eles passem a ser processados.

CB

A marca Roda Viva é sua.

Os plutocratas têm que enfrentar resistência. Os Pedros Pedreiros agradecem agora o que você lhes fizer para que algo que lhes foi vergonhosamente tomado.

Mando-lhe, por fim, um abraço de quem é grato por tantas coisas boas que você nos proporcionou e proporciona — incluída aí Roda Viva.

Paulo Nogueira

Toma lá dá cá: Renan suspende votação de projeto de lei do abuso de autoridade STF mantém Renan no comando do Senado, mas o proíbe de assumir Presidência Barroso: descumprir decisão judicial é ‘crime ou golpe de estado’ Jorge Viana: “Não tenho condições de assumir” Reuters: Turbulência crescente coloca em xeque capacidade do governo de tirar país da crise Os melhores memes da foto de Moro e Aécio em premiação cascateira da Istoé “Istoé” vira piada nas redes ao dar prêmio de “Brasileiro do Ano” a Temer Em evento do governo de MT, Moro elogia deputado tucano citado em desvio de verbas da Educação Militares respondem por quase metade do déficit da previdência Papa compara uso da mídia para difamar rivais políticos à excitação por excrementos O legado de Ferreira Gullar. Por Pedro Zambarda

9_clarice02

por : Pedro Zambarda de Araujo

Na ocasião da morte de Clarice Lispector, em 9 de dezembro de 1977, Ferreira Gullar escreveu a seguinte poesia:

“Enquanto te enterravam no cemitério judeu / do Caju / (e o clarão de teu olhar soterrado/ resistindo ainda) / o táxi corria comigo à borda da Lagoa / na direção de Botafogo / as pedras e as nuvens e as árvores / no vento
mostravam alegremente / que não dependem de nós”.

E hoje, na ocasião da sua morte, cinco dias antes do aniversário do falecimento de Clarice, eu releio os mesmos versos. Gullar era anárquico, contemplativo e sensível.

Comecei a escrever ficção quando tinha oito anos num caderno que tinha em Santos na companhia dos meus pais. Mas foi um professor de literatura no colegial com os livros de Carlos Drummond de Andrade e Ferreira Gullar que me mostraram o poder das palavras, que possuem um profundo significado quando colocadas no papel. Cada um delas.

Diferente de Fernando Pessoa ou Camões, Gullar também me ensinou que era possível fazer rimas bobas, assimétricas e versos soltos que descreviam cenas, angústias e desejos. Ele me mostrava que escrever tinha uma lógica própria. “Traduzir-se” é o meu mantra sobre existência e linguagem. “Uma parte de mim / é multidão; / outra parte estranheza / e solidão / Uma parte de mim / é só vertigem / outra parte, / linguagem”.

E não há texto que traduza melhor em arte escrita o que foi a ditadura militar no Brasil do que seu “Poema Sujo”. É o meu poeta de releituras constantes em busca de inspiração.

Escreveu para séries de TV, como Carga Pesada na Globo, e possuiu uma obra como crítico de arte – além das suas obras como pintor. Foi múltiplo em vida.

Tinha uma grande fila de desafetos, começando pelos escritores concretistas Augusto e o falecido Haroldo de Campos, que também me ensinaram a escrever poesia. No entanto, Ferreira Gullar me mostrava que a arte não precisa e nunca precisou se encaixar em rótulos. Era o que ele classificava como neocroncreto. Me ensinou que os versos podem ser, de fato, livres.

Entrou na Academia Brasileira de Letras, que debochava antes, em 2014 aos 83 anos. Era maranhense de São Luís, filho de quitandeiro e amigo de José Sarney. Foi comunista do Partidão. Virou, depois do fim da ditadura, um crítico das esquerdas e um opositor dos governos de Lula e Dilma, além do próprio PT.

Era ressentido e beirava o reacionário em muitos dos seus textos antipetistas publicados na Folha de S.Paulo, mas a discordância que tive de suas opiniões políticas nunca me tirou o brilho que tive ao reler sua obra artística.

Numa pequena coletânea de poesias que publiquei ano passado pela editora de estudantes da USP, dediquei minha inspiração no texto a três poetas: Gullar, Drummond e Fernando Pessoa. Se o último me ensinou a importância de encarnar personalidades diferentes, o primeiro me deu liberdade na escrita e contato com a realidade mais dilacerante.

Ferreira Gullar morreu neste domingo aos 86 anos de pneumonia no Rio de Janeiro. Tal como “as pedras e as nuvens e as árvores” na morte de Clarice Lispector, o mundo mostrou alegremente que não se importa com ele ou conosco.

Ficam comigo as lições aprendidas em sua poesia, arte e linguagem.

FG

Metrô tem aumento de 30% em passageiros no 1º dia de operação da Linha 2

No primeiro dia de operação da Linha 2 do Sistema Metroviário Salvador – Lauro de Freitas, a CCR Metrô Bahia registrou acréscimo de 30% na quantidade de passageiros transportados, saindo de 50 mil em média, para 69 mil pessoas; as três primeiras estações do primeiro trecho foram inauguradas nesta terça-feira pelo governador Rui Costa; assista 650x375_metro-salvador_1485766

TRE dá vitória a Fernando Gomes em Itabuna

Mais votado na disputa pela prefeitura de Itabuna nas eleições deste ano, o agricultor Fernando Gomes, do DEM, teve ser sua candidatura deferida pelo Tribunal Regional Eleitoral nesta quarta-feira; apesar de ter sido o mais votado, Fernando Gomes estava com a candidatura indeferida devido a quatro condenações do Tribunal de Contas da União, por suspeita de crimes de improbidade administrativa; após pedido de recurso, os desembargadores do TRE julgaram o caso e deferiram a candidatura por cinco votos contra um; com o triunfo, o DEM governará as quatro maiores cidades da Bahia a partir de 1º de janeiro de 2017: Salvador, Camaçari, Feira de Santana e Itabuna Fernando-Gomes

UNIVERSO PARALELO SERÁ NA PRAIA DE PRATIGI

De 27 de dezembro a 04 de janeiro, a praia de Pratigi em Ituberá, Baixo Sul do Estado, será mais uma vez palco do Festival Universo Paralelo. Esta é a 13ª Edição do festival que encontrou em Pratigi, um local perfeito para a sua realização. A festa oferece preferencialmente música eletrônica 24 horas por dia e existe uma estrutura que conta com camping, barracas de comidas, bebidas, chuveiros e banheiros improvisados, apresentação de djs e artistas nacionais e internacionais nos oito dias de festival. São esperados mais de 20 mil participantes, na sua maioria, de turistas de outros países.
praia3241208

Nesse período, a economia de Ituberá é aquecida, principalmente para os vendedores ambulantes que aproveita a ocasião para faturar com vendas de bebidas e lanches. De acordo com os organizadores, o evento busca oferecer sustentabilidade ao local onde está sendo realizado.

MORADORES DO AREIAL E TAMARINEIRO ELEGEM DIRIGENTES DE ASSOCIAÇÃO DE BAIRRO

Areial

A Federação das Associações de bairros de Valença (FEMAMVA) promoveu a eleição dos novos dirigentes da Associação de Moradores do Areial e Tamarineiro. Com a participação de mais de 300 moradores/eleitores e coordenada pelo presidente da FEMAMVA, Romilson Muniz, a secretária executiva, Nelma Oliveira, o vice-presidente, Carlos de Jesus Sousa e a conselheira fiscal, Maria de Lourdes foi eleita a chapa encabeçada pelo líder comunitário, Luciano Santos de Jesus.
Na opinião do presidente da FEMAMVA, Romilson Muniz, as comunidades do Areial e do Tamarineiro estarão organizadas para reivindicar os serviços essenciais, além da promoção social e cultural dessas comunidades.
Areial2
Ainda foram eleitos na Associação de Moradores do Areial e Tamarineiro como vice-presidente, Joelson de Assis; 1º secretário, Eriedna de Almeida; 2º secretário, Ana Beatriz; 1º tesoureiro, Ailton Santana; 2º tesoureiro, Lucijalma de Jesus e no conselho fiscal: Mailton Leandro, Galdencio Barreto, Maria da Conceição Santos, Sueliton melo, Rovan Vilaça e Josenildo Cardim.
Segundo o presidente eleito da associação do Areial e Tamarineiro, Luciano de Jesus, a entidade não medirá esforços para assegurar os serviços e firmar parcerias com diversos órgãos para garantir a tranquilidade nessas comunidades. “Estamos dispostos a trabalhar pelo bom comum”, afirmou Luciano.

STF confirma julgamento de afastamento de Renan nesta quarta

Decisão será primeiro item da pauta do Pleno na próxima reunião; presidente do Senado não acatou a liminar expedida pelo ministro Marco Aurélio Mello

Breno Pires / Rafael Moraes Moura / Estadão Conteúdo

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, incluiu na pauta do Pleno desta quarta-feira (7) o julgamento sobre a liminar do ministro Marco Aurélio Mello que afastou o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) do cargo de presidente do Senado.

A decisão se deu em um dia repleto de conversas de bastidores, perpassadas pela tensão provocada pela decisão de afastamento do presidente do Senado Renan Calheiros. Segundo a reportagem apurou, o senador Jorge Viana (PT-AC), o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e pelo menos seis ministros do STF conversaram com Cármen sobre o tema ao longo do dia.

Renan
A urgência de apreciar o tema já havia sido sinalizada pela presidente pela manhã, quando disse que “tudo o que for urgente para o Brasil eu pauto com urgência”. É o caso do afastamento de Renan Calheiros, determinado pelo ministro Marco Aurélio Mello por meio de liminar. Dentro do STF, o entendimento é que Cármen Lúcia quer apaziguar a situação, votando o quanto antes a questão.

Mello deferiu, na segunda-feira, o pedido de Rede Sustentabilidade, que requereu ao Supremo uma posição sobre se réus podem ou não estar na linha sucessória do presidente da República. Mello concordou com o argumento da Rede Sustentabilidade e determinou que Renan – que na semana passada se tornou réu, por decisão do Pleno do STF, no dia 1º de dezembro, por 8 votos a 3 – fosse afastado da presidência do Senado. É esta decisão que será levada a referendo no Pleno nesta quarta-feira.

A decisão de Mello motivou reações negativas no Congresso. Na manhã desta terça-feira, 6, o Senado apresentou dois recursos contra a liminar de Marco Aurélio Mello – um agravo regimental destinado ao próprio Mello, para que revisasse a decisão, e um mandado de segurança que pedia a suspensão da decisão liminar de Mello, pelo menos, até o julgamento no pleno.

Renan Calheiros se recus

Governador nomeia 26 delegados e 16 escrivães da Polícia Civil

No inicio de agosto deste ano, Rui Costa convocou 557 aprovados no concurso da corporação, a primeira nomeação após 20 anos

João Brandão

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), nomeou nesta quarta-feira (7) novos delegados e escrivães da Polícia Civil do estado. Ao todo, foram escolhidos 27 chefes de polícia e 16 servidores da corporaçãocarros-policia-brasil_1. Os nomes foram selecionados através de concurso público, homologado por meio da Portaria Conjunta da Secretaria da Administração do Estado da Bahia (Saeb) e Polícia Civil, de 13 de abril de 2015.

No inicio de agosto deste ano, Rui convocou 557 aprovados no concurso da corporação. Na ocasião, foi primeira nomeação após 20 anos sem concurso para a Polícia Civil. Em novembro, o chefe do Executivo baiano chamou mais 66 servidores. Os convocados preencheram 35 vagas para o cargo de delegado e 31 para o posto de escrivão.

TJ-BA cria grupo de trabalho para aumentar produtividade: ‘Meta é ser o mais produtivo’

por Júlia Vignégrace
O Tribunal de Justiça do Estado da Bahia (TJ-BA) quer ser o Tribunal mais produtivo do país até fevereiro de 2018 quando sua presidente, Maria do Socorro, termina sua gestão. Para isso, a presidente criou um grupo de trabalho que acompanhará a eficiência, produtividade e qualidade da prestação jurisdicional do primeiro grau. De acordo com o diretor adjunto da diretoria de Primeiro Grau do TJ-BA, João Felipe Menezes, a presidente nomeou 30 servidores que irão atuar de maneira exclusiva neste grupo que irá monitorar os indicadores e realizar uma gestão de informações. “Os novos servidores irão atuar no saneamento virtual das comarcas da Bahia fazendo as movimentações necessárias. Nós iremos buscar através dos números as comarcas que estão mais improdutivas para que o grupo possa atuar”, explicou. O trabalho remoto irá economizar custos e acelerar alguns processos, tendo em vista que a Bahia possui mais de 200 comarcas e algumas distam mais de mil quilômetros de Salvador. A presidente nomeou 15 analistas judiciários e 15 técnicos judiciários, do cadastro de reserva do concurso de 2014, para atuar exclusivamente no grupo de trabalho. O grupo irá acompanhar os indicadores das comarcas e irá dar suporte naquelas em que a produtividade esteja baixa, fazendo as movimentações necessárias. Dentro os indicadores que serão analisados estão o número de baixa de processos, de processos novos, o tempo em que a ação tramita, entre outros. De acordo com Menezes, a meta é aumentar em 30% a produtividade comparada atual, que foi avaliada como 60% pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) através do relatório Justiça em Números, totalizando 90% de produtividade. “O nosso objetivo é aumentar a produtividade resolvendo problemas como deficiência de movimentação, baixando processos, através de um novo método de gestão, como o Cartório Integrado que teve 200% de produtividade”, explicou. O objetivo da presidente é que até o final de sua gestão, em fevereiro de 2018, o TJ-BA se torne o tribunal de médio porte mais produtivo do país. “Possivelmente a gente já bateu a meta de aumentar em 30% a produtividade, de acordo com dados extraoficiais. Agora queremos alcançar o título de Tribunal de porte médio mais produtivo do Brasil”, explicou o diretor.

A chef Grace Trankels está entre os 4 participantes finalistas do reality culinário Hell’s Kitchen, exibido pelo SBT.

Representando a Bahia, a Chef natural do Paraná, mora há 15 anos em Valença (BA), onde é proprietária da Pousada e Restaurante Mandala’s, localizado na Praia de Guaibim. Nunca fez um curso de culinária e acredita que carrega o espirito de uma boa cozinheira, por já ter ganho concursos da aérea.

grace
Após muitas etapas de superação, entre mais de 52 mil inscritos, Grace Trankels está entre os 4 melhores chefs de cozinha do Brasil e segue para a reta final como preferida do público. Assista ao programa, aos sábados no SBT, a partir das 21h30min.(idende.com)