Coleta e troca do óleo de cozinha

Bom para você melhor para o meio ambiente. More »

Violência Contra Mulher

O orgulho não foi feito para o homem, nem a ira violenta para os nascidos de mulher. (Eclesiástico 10,18) More »

Mais Cultura no Bairro da Bolivia

Aulas pensadas para trabalhar a Saúde. Desde a adolescência até a terceira idade. More »

Blitz Educativa

“Proteja-se! Use o cinto de segurança” More »

ESCOLA COMUNIDADE QUILOMBOLA

Comunidade Quilombola com melhor educação. More »

 

Lei que regulamenta passeios turísticos no município – arquipélago de Cairu ganha alterações

SITE FOTO
Na última sexta-feira (17), um passo importante para o Turismo do município-arquipélago de Cairu foi dado. A Câmara de Vereadores aprovou o Projeto de Lei que altera e reordena a Lei do Voucher, legislação que regulamenta a venda e a operação dos passeios turísticos no arquipélago. As modificações são fruto de um trabalho conjunto envolvendo a Prefeitura de Cairu, membros da sociedade civil organizada e vereadores.

As alterações objetivam uma maior qualidade, segurança e controle dos passeios turísticos. Entre as principais alterações estão a parceria, por meio de convênio, da administração pública com as associações, a fim de unir forças para uma gestão mais eficiente da atividade; obrigatoriedade da apresentação de lista de passageiros antes do embarque; instrumentos de punição mais efetivos para se evitar cometimento de infrações; limitações nos números de passageiros nas lanchas, entre outras medidas que tornarão as categorias mais fortes e preparadas para exercerem suas atividades.

De acordo com o prefeito Fernando Brito, as alterações são importantes para aperfeiçoar o Voucher Único. “A atividade turística no município é fundamental para a economia cairuense, como também da região. Com as modificações na lei poderemos oferecer um serviço com um padrão de qualidade ainda melhor para nossos turistas”, frisou Brito. A nova legislação foi sancionada pelo gestor municipal nesta segunda-feira (20/08), as alterações já encontram-se publicadas no Diário Oficial do Município.

Colégios Municipais de Garapuá e Zimbo promovem seminário sobre sustentabilidade com a participação de professores da UFBA

IMG-20180919-WA0058
IMG-20180919-WA0065
IMG-20180919-WA0069
Atentos para as estatísticas globais que apontam para a escassez de recursos hídricos e perda da biodiversidade, sejam causadas pelas mudanças climáticas ou pela interferência da ação humana, os professores da rede municipal de Cairu, Ari Nunes e Ítalo Rosário, lotados nos Colégios José Gomes e Modelo do Zimbo, respectivamente, promoveram o Seminário Interdisciplinar de Sustentabilidade – Garapuá, Zimbo/ Morro de São Paulo. A iniciativa contou com o apoio da Secretaria da Educação e com total colaboração das direções e coordenações dos colégios.

Durante os dias 17 e 18 de setembro, os estudantes de ambas unidades escolares assimilaram novos conhecimentos teóricos e práticos transmitidos em rodas de conversas sobre “Plantas Alimentícias Não Convencionais – PANCs” com a participação do Prof. Dr. José Geraldo de Aquino Assis
Docente da UFBA/UEFS, de Ian Requião de Castro Doutorando em Administração – UFBA, de Juliana Fonseca de Melo, Mestranda em Ciências Sociais e integrante da Rede PANCs – UFBA. “O Uso Consciente dos Recursos Hídricos, Restauração e Conservação da Biodiversidade” também foi tema de um café científico abordado pelo professor Ítalo Rosário que é Mestrando em Ecologia e Gestão Ambiental- UFBA.

A secretária da Educação, Luana Figueiredo, elogiou a iniciativa e destacou a importância da interação dos estudantes com profissionais tão gabaritados na abordagem de temas de grande pertinência para a comunidade cairuense.

Prefeitura de Cairu entrega escola de Canavieiras completamente reformada e requalificada

FB_IMG_1537379933281
FB_IMG_1537379770735FB_IMG_1537379924872

Após ter passado por uma reforma completa e ser totalmente requalificada, foi reinaugurada na noite da última sexta-feira (14/09) a Escola Municipal Professora Esperidiana Moura, na localidade de Canavieiras. Agora, a unidade escolar conta com rampas de acessibilidade, espaço de convivência dotado com televisão, sala de informática, horta para produção de hortaliças que complementarão a merenda escolar, além de um novo e moderno mobiliário.

A cerimônia de reinauguração foi marcada pelas apresentações dos estudantes e também pelas palavras de agradecimento de toda equipe escolar e da comunidade pelo cuidado e esmero com que a obra foi realizada.

Durante o evento, o prefeito Fernando Brito registrou a satisfação em entregar mais uma escola. “Essa reinauguração representa mais uma promessa cumprida com o povo cairuense, muitas outras virão em breve, pois não importa o tamanho da localidade, nós olhamos todas com a mesma atenção. Essa é uma das minhas maiores satisfações: fazer uma gestão voltada para população humildade da nossa terra”, destacou Brito

Na oportunidade, o prefeito também anunciou para breve o início das obras da orla de Canavieiras, através de projeto do Ministério do Turismo, além da instalação de um posto de saúde na localidade. Os anúncios foram comemorados pela população e também pelo vereador Balbino dos Santos, representante da comunidade que já havia realizado os pleitos na Câmara.

Participaram da cerimônia a primeira-dama Adriana Brito, o vice-prefeito Maneca Ché, os secretários Benedito Passos(Infraestrutura), Luana Figueiredo (Educação), Graça Peleteiro (Cultura), Ally Ché (Pesca e Agricultura), Valdinei da Cruz (Administração), o chefe de gabinete Marcos Adeodato, o presidente da Câmara Abdon Ché e os vereadores Tião, Ivan de Gerino e Keninho Ché.

Programa Municipal de Desenvolvimento do Artesanato Cairuense começa a dar frutos

IMG-20180918-WA0043

O Programa Municipal de Desenvolvimento do Artesanato Cairuense implantado pela Prefeitura de Cairu, por meio da Secretaria da Cultura, no primeiro semestre deste ano já começa a dar frutos. Com o apoio da iniciativa, oito artesões cairuenses foram selecionados para participar do Sebratec, programa do Sebrae que promove o acesso de pequenos negócios a soluções em áreas de conhecimento da inovação.

O parâmetro para seleção dos artesões foi a técnica utilizada. Dentre os selecionados, seis são de Morro de São Paulo e dois da Gamboa. Além de Cairu, a região do BaixoSul também terá mais oito artesões inseridos na capacitação que terá duração de dois anos. Os artesões cairuenses comprometeram-se em aplicar o conteúdo aprendido na consultoria.

“O Sebrae em parceria com a Secretaria de Cultura, incentiva e apoia iniciativas que agreguem valor as atividades ligadas à cultura, economia criativa, artesanato e demais produções locais. Através da realização da consultoria em inovação – design de artesanato, visamos apoiar e orientar os artesãos, no desenvolvimento de novos produtos, bem como, de nova coleções. Através da introdução de design nos produtos, sem a perda de aspectos iconográficos e consequentemente valorizando a cultura da região”, ressaltou a gestora do Projeto de Turismo na Costa do Dendê pelo Sebrae, Maria Guadalupe.

De acordo com a Secretaria de Cultura, Graça Peleteiro, a conquista é para o artesanato cairuense que conseguirá com a ação ter mais visibilidade e consequentemente mais demanda, o que significa maior lucratividade para estes artistas que moldam com as mãos a cultura cairuense.

Na última quinta-feira (13), no Auditório da Fortaleza do Morro de São Paulo, os selecionados participaram da primeira apresentação do Sebratec. Na oportunidade, o design Rodrigo Lyra falou sobre a representação de símbolos culturais, históricos e artísticos que podem estar refletidos na produção artesanal. A partir de agora, começará uma sequência de visitas nos ateliês e análise de material de produção.

É oficial: 2017 foi um ano (muito) difícil para a Humanidade

O mundo é cada vez mais um lugar triste. Uma pesquisa global sobre as emoções humanas concluiu que 2017 foi o ano mais sombrio e miserável em mais de uma década.

fede3c609e9dd5a77cd39f243fa00ae7-783x450

Segundo o Science Alert, embora as experiências positivas tenham se mantido estáveis, o mundo atual está mais estressado, preocupado e triste do que em qualquer outra época desde 2005, ano em que começou o Gallup Global Emotions Report.

“Esta é a primeira vez que vemos um aumento significativo de emoções negativas”, afirma Julie Ray, principal autora e editora do relatório de 2018, ao New York Times. “É o valor mais alto que já registramos”, acrescenta.

Com a propagação do terrorismo, da guerra, da crise dos refugiados, bem como as mudanças climáticas, em 2017, o mundo continuou a parecer menos estável e cada vez mais perigoso. Mesmo em sociedades aparentemente pacíficas, o medo político e a polarização deixaram os cidadãos se sentindo isolados e oprimidos.

A pesquisa contou com a participação de mais de 154 mil pessoas em todo o mundo, tendo verificado que quase quatro em cada dez pessoas sentiram preocupação ou estresse no dia anterior à entrevista – um aumento de 2% frente ao ano anterior.

Tristeza e dor física são as sensações negativas que se seguem, com um aumento de 1%: pouco mais de três em dez disseram ter experimentado dor física no dia anterior e um em cada cinco disseram ter sentido tristeza. A raiva foi a única emoção negativa que se manteve estável quando comparado com os resultados do ano anterior (20%).

Assim como seria esperado, existem regiões no mundo que sentem mais emoções negativas do que outras. Até 2017 – e durante quatro anos consecutivos – o Iraque teve a maior pontuação no Índice de Experiência Negativa.

No ano passado, porém, a República Centro-Africana ocupou esse lugar, obtendo a maior pontuação que a Gallup já registrou em qualquer país na última década. Mesmo assim, devido aos intensos conflitos no país, a organização não conseguiu respostas de cerca de 40% da população.

Das respostas recolhidas, três em cada quatro pessoas disseram ter experimentado dor física e muita preocupação no dia anterior a serem questionadas – a mais alta registrada nos dois casos.

Na América Latina, os resultados já foram mais animadores. Ano após ano, a região continua a liderar o mundo relativamente às experiências positivas, com os autores do estudo alegando que isso pode ser explicado (em parte) pela tendência latino-americana de se focar nos pontos positivos da vida.

Mas, embora os fatores culturais tenham alguma relevância, a verdade é que quase todos os países com as piores pontuações passam por algum tipo de conflito interno ou externo contínuo.

“Nossa pesquisa ao longo dos anos nos ensinou que o rastreamento de como as pessoas vivem suas vidas é, sem dúvida, mais importante do que a pontuação geral em um único ano”, escreve Mohamed S. Younis, editor-chefe da Gallup, no novo relatório.

“Embora os desenvolvimentos a nível nacional e global tendam a dominar as manchetes, captar as tendências de esperança – ou desespero – a nível individual fornece a inteligência mais valiosa”.

Idosos com mais de 70 anos representam a maior taxa de suicídio no Brasil

Problemas de saúde, isolamento social causados pela viuvez, separações, distanciamento de filhos e netos, perda de produtividade, além de depressão e doenças crônicas.

b19bed458fbb70c27adc414f77b898bd-783x450

Essas são alguns dos fatores que contribuem para que os idosos com mais de 70 anos apresentem as maiores taxa de suicídio no país, segundo dados do boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde.

O coordenador do ambulatório do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas, Rodrigo Leite, ressalta que a população está envelhecendo, o que pode gerar outros problemas.

“A gente está vivendo mais e com uma qualidade de vida pior e com doenças crônicas que geram incapacidade, geram sobrecarga familiar, geram empobrecimento por conta da perda de renda por conta da aposentadoria ou da incapacidade de trabalhar da questão da crise econômica que leva ao aumento dos planos de saúde. Se você soma todos esses fatores, é um prato cheio para o risco de suicídio”, diz.

O médico alerta também para o número de casos de alcoolismo entre os idosos.

Em muitas situações a fisioterapia, associada a outros tratamentos, pode também ser uma aliada para a saúde mental nessa fase da vida, como explica a fisioterapeuta Luisa Veríssimo.

“Os idosos, com frequência, perdem a capacidade de realizar suas atividades de vida diária e através dos exercícios a gente consegue melhorar essa função ou devolver essa função ou senão melhorar. Eu acho que o tratamento fica no meio termo de saber ouvir e ao mesmo tempo identificar esses sinais que mostram que ele precisa de uma melhor qualidade de vida, de uma melhor execução do movimento, e casar essas duas frentes num tratamento global”, explica.

Severina Moraes, aposentada do serviço público, está a caminho dos 70 anos e faz parte de um grupo de corrida. Ela já passou por um episódio de grande estresse. Para ela, a atividade física ajudou. Por isso, aconselha:

“O primeiro passo é sair do sofá. A vida é assim, tem problemas e tem soluções também. Se você se identifica com artesanato, vá fazer artesanato. Música, tem aulas de música. Exercício físico, yoga”.

No ano passado, o Ministério da Saúde lançou uma agenda estratégica para atingir meta da Organização Mundial da Saúde de redução de 10% das mortes por suicídio até 2020.

Segundo a diretora do Departamento de Ações Programáticas Estratégicas da pasta, Thereza de Lamare, o Brasil está abaixo da média de registro de suicídios em relação a outros países. Ela ressalta a importância dos dados do Boletim Epidemiológico de Tentativas e Óbitos por Suicídio no Brasil.

“Nos ajudam a orientar onde a gente deve atuar, onde a gente deve atuar como a gente deve atuar, de que forma a gente deve atuar. É uma ação muito importante que nós temos junto a outras áreas do Ministério da Saúde”, aponta.

Thereza de Lamare fala das ações do Ministério da Saúde.

“Nós iniciamos um trabalho desde o ano passado, desenvolvendo uma série de ações junto as nossas unidades de saúde, como também identificando regiões, estados, onde a gente encontrou uma maior concentração. Nós instituímos o Comitê Nacional de Prevenção ao Suicídio. Fizemos uma pareceria com o CVV [Centro de Valorização da Vida]”, indica.

Quando necessário é importante procurar ajuda com profissionais, nos serviços de saúde, em emergências como o Samu e no CVV, no 188, disponível em todo o país. Lembre-se que a maioria dos casos de suicídio podem ser evitados.

Secretaria de Saúde de Cairu adere a campanha Setembro Amarelo

IMG-20180913-WA0121IMG-20180917-WA0070IMG-20180918-WA0005
A Secretaria de Saúde de Cairu está promovendo em todas as localidades do município atividades em alusão ao Setembro Amarelo, campanha que tem como objetivo a conscientização sobre a prevenção do suicídio, bem como informar a população sobre as formas de prevenção e sobre a realidade do suicídio no Brasil e no mundo.

As atividades envolvem as equipes da Atenção Básica e também do NASF – Núcleo de Assistência à Saúde da Família. Além de de palestras e dinâmicas, materiais informativos estão sendo distribuídos nas comunidades. A ação já passou por Galeão, Torrinhas, Zimbo, Sede e Morro de São Paulo. Até o fim do mês de setembro todas as demais localidades do arquipélago serão percorridas.

A secretária de Saúde, Italuana Guimarães, reforça a importância de abordar o tema. ” Hoje o suicídio é considerado um problema de saúde mundial, precisamos falar sobre isto para desmitificar assuntos, a exemplo da depressão, passando informações e ofertando apoio para as pessoas e também para os familiares que vivenciam uma situação desta”, pontuou a secretária.

ASCOM/CAIRU

Museu Geológico da Bahia participa da Primavera de Museus

Réplica do meteorito Bendegó é uma das 20 mil peças do acervo
museu_geologico_bahia_foto_Divulgação

museu_geologico_bahia_foto_marcelo_ferrao (3)

De 18 a 23 de setembro, o Museu Geológico da Bahia (MGB), que tem mais de 20 mil peças em seu acervo, vai participar da 12ª edição da Primavera de Museus, que este ano traz como tema “Celebrando a Educação em Museus”. Uma diversidade de atividades integrará a programação, desde a exibição de filmes seguidos de debates, mesas redondas e exposições de jogos, fotos e grafites. O evento é realizado pelo Ibram, autarquia vinculada ao Ministério da Cultura, e é um convite à reflexão sobre o lugar da educação nos museus brasileiros.

“O tema deste ano reforça o papel fundamental de um museu e contempla um dos viés do MGB, que é a educação através do programa Museu Escola Comunidade (PMEC), que busca promover a integração da programação educativa-cultural do museu, com instituições de ensino público e privado, desde a educação infantil ao ensino superior e a outros grupos que desenvolvem atividades sociais ou culturais”, afirma Luiza Maia, secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), do qual o museu é vinculado.

Criado em 1975 e abrigado em um casarão da década de 1940, no Corredor da Vitória, o MGB tem entre suas atrações principais uma réplica do meteorito Bendegó, que recentemente foi assunto nacional após o incêndio no Museu Nacional, no Rio de Janeiro, onde encontra-se o artefato original. Quando encontrado, nos idos de 1784, em uma fazenda próxima à atual cidade de Monte Santo, Bahia, o Bendegó era considerado o maior meteorito encontrado em solo brasileiro e segundo maior do mundo. Atualmente ocupa o 16º lugar, em tamanho.

“Adquirir conhecimento, aprofundar-se na história, consumir cultura, aumentar o potencial educativo e até mesmo ver de perto o que aprende-se nos livros são alguns dos variados motivos para ir até um museu. A réplica do meteorito de Bendegó recepciona o visitante logo na entrada. Ainda no foyer, um painel interativo com um simples toque pode teletransportar o visitante a uma misteriosa cratera de maneira lúdica e atrativa”, explica Heli de Almeida Sampaio, coordenador do Museu Geológico.

Na sala dos meteoritos, o visitante aprende que os corpos celestes vagam no espaço desde a forma de estrelas gigantes à microscópicos fragmentos de asteróides. A sala do Universo ativa os sentidos através de imagens e sons que remetem às estrelas, às galáxias, ao sol e aos planetas. Outra grande atração é o Planetário, composto por uma cápsula inflável, com capacidade para acomodar 15 pessoas, por apresentação, e permite a simulação do sistema solar e seus principais astros.

Existe ainda uma coleção de pedras preciosas e cristais, a réplica de esqueleto e estrutura de um mastodonte, obra da artista plástica Nanci Novaes, o meteorito Quijingue, único meteorito misto, de rocha e ferro, do Brasil. Há também o painel confeccionado com pedras e rochas da Bahia, de autoria do artista plástico Juarez Paraíso, além de uma sala dedicada a contar a história do petróleo brasileiro.

O museu tem ainda um auditório que foi inaugurado em 1985 e desde 1996 abriga o Cinema do Museu, uma das salas de projeção de filmes de arte de Salvador. Com capacidade para 125 pessoas, o local é considerado um dos melhores espaços culturais da cidade. Além da projeção de filmes educativos, o museu é utilizado para realização de eventos científicos e culturais.

“Ter um equipamento como este, fonte de enriquecimento dos saberes para crianças e adolescentes, que permite um contato real e científico com aquilo que eles vêem nos livros, que mostra o potencial mineral do nosso estado e curiosidades do nosso planeta é um patrimônio inconteste de conhecimento da nossa Bahia e que precisa ser valorizado e conhecido”, destaca Luiza Maia.

O circuito inteiro de visita ao Museu Geológico abrange 15 salas temáticas e tem entrada gratuita. Para grupos acima de 15 pessoas é oferecida visita orientada, atividade também gratuita, sempre previamente agendada: no telefone (71) 3336-3498 ou no e-mail, mgb@sde.ba.gov.br. Os horários de visitação são de terça a sexta, das 13h às 18h, e aos sábados e domingos, das 13h às 17h.

O Cinema do Museu também é palco das Terças Musicais, com apresentação mensal de Cameratas da Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA), fruto de parceria com o Teatro Castro Alves, toda primeira terça-feira.

Programação completa no MGB – De 18 a 23 de setembro de 2018

EXPOSIÇÃO: Jogos Africanos – Colégio Estadual Odorico Tavares

EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA: Celebrando a Educação em Museus – Colégio Estadual Odorico Tavares

EXPOSIÇÃO: Grafite sobre Papelão – Givanildo Mateus.

18/09 – Terça-feira

8h30 às 11h – Exibição de filme seguido de debate sobre “Museus e as possibilidades educativas”. Debatedores: Carla Caroline Mota Neri, Elizabeth de Jesus da Silva e Felipe da Silva Borges

13h30 às 16h30 – Exibição de filme seguido de debate sobre “Museu na Rota das Relações Étnico Raciais” Debatedores: Profa.Dra. Elizabeth de Jesus da Silva, Luciana Mendes Senna e Msc.Bárbara Vérgas

19/09 – Quarta-feira

8h30 às 11h – Exibição de filme seguido de debate sobre “Cinema, leitura, pereformace: celebrando a educação em museus”. Debatedores: Carla Caroline Mota Neri, Felipe da Silva Borges e Fábio Rodrigues Filho

14h às 17h – Mesa redonda: EM DEBATE “Celebrando a Educação nos Museus?” Participação em processo de confirmação

20/09 – Quinta-feira

8h30 às 11h – Exibição de filme seguido de debate sobre “Museus e Memórias”. Debatedores: Carla Caroline Mota Neri, Felipe da Silva Borges e Fábio Rodrigues Filho

13h30 às 16h30 – Exibição de filme seguido de debate sobre “Museu na Rota das Relações Étnico Raciais”. Debatedores: Prof.Dra. Elizabeth de Jesus da Silva, Luciana Mendes Senna, Msc. Bárbara Vérgas

21/09 – Sexta-feira

9h às 12h – Mesa redonda sobre: “Articulações conceituais: História, Patrimônio e Museu”. Participação: Profa. Dra. Joseania Freitas e Prof. Dr. Marcelo Cunha

14h às 17h – Mesa redonda: “Entre o digital e o presencial: a museologia e os museus no mundo contemporâneo” Participação: Prof. Dr. Claudio Oliveira, Profa. Msc. Luciana Messeder, Profa. Dra. Rita Maia e Prof. Msc. Heli de Almeida Sampaio Filho.

Ascom/SDE/ Foto da sala de pedras: Marcelo Ferrão/ Foto do do réplica meteorito Bendegó: Divulgação

Mulheres organizam ato contra Jair Bolsonaro em Valença

untitled
Iniciadas nas redes sociais, movimentações reunindo milhares de mulheres contra o candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) estão marcadas para ocorrer em diversas cidades no próximo dia 29/09. Em todo o Brasil, há pelo menos 42 atos marcados pelo Facebook para o dia 29, em 20 estados e no Distrito Federal. Mulheres de Valença, bem como de diversas cidades do Baixo Sul, também somaram-se ao movimento apartidário e prometem fazer um grande ato com saída marcada da frente da Igreja da Lapa às 16h.

A organização dos protestos ganhou força com o grupo no Facebook “Mulheres unidas contra Bolsonaro”, que em uma semana reuniu cerca de 2 milhões de mulheres críticas ao militar reformado de ultradireita. A rejeição de mulheres a Bolsonaro chega a 49% do eleitorado feminino, segundo pesquisa do Datafolha do dia 10/9. Ou seja, praticamente metade do eleitorado feminino (que corresponde a 53% do total do eleitorado brasileiro) não aceita votar nele de jeito nenhum.

Maior biblioteca de magia e ocultismo do mundo disponibiliza acervo na internet

Fundada em 1957, a Biblioteca de Ritman, ou Bibliotheca Philosophica Hermetica, só foi aberta ao público em 1984. Seu fundador, Joost Ritman, começou a juntar livros raros sobre espiritualidade quando ainda era adolescente, iniciando com uma edição do século 17 de “Aurora”, do filósofo alemão Jakob Böhme.

ea6cb977eb51dc31f921250b0764faf1

Em junho de 2016, Dan Brown, escritor e autor de livros como O Código Da Vinci e Anjos e Demônios e que havia feito várias pesquisas por lá durante seus processos criativos, anunciou uma doação de 300 mil euros para que a biblioteca pudesse digitalizar seu acervo e tornar as obras acessíveis a um público maior.

Dos cerca de 4.600 livros da Biblioteca de Ritman, pouco mais de 2.100 já estão disponíveis online e podem ser acessados através do site Embaixada da Mente Livre. Há diversos estudos sobre temas como alquimia, astrologia, magia e outros temas caros ao ocultismo.

É importante ressaltar que as obras estão escritas em diferentes idiomas europeus, com predominância para textos em latim. Há também livros em inglês, francês, alemão e holandês, e a forma mais fácil de filtrar as buscas no catálogo é selecionar por lugar de publicação