Category Archives: Home

Confere só a programação do II Fórum de Turismo do Morro de São Paulo, que este ano tem como tema “Sustentabilidade: a Geração de Emprego na Indústria do Turismo”

FT6
FT5
FT3

Joias e gemas baianas oferecem janela de oportunidade profissional

Centro Gemológico da Bahia Foto: Carol Garcia2018_06_15_Centro Gemológico_Marcelo Ferrão (6)
Centro de avaliação, pesquisa, difusão e valorização das gemas e joias do estado, o Centro Gemológico da Bahia (CGB) abre uma janela de oportunidade profissional com cursos voltados à capacitação em joalheria e lapidação, gerando a possibilidade de emprego e renda para os interessados na área, tendo cerca de 85% dos treinados atuando na área, seja em fábricas de joias e ourivesarias ou abrindo o seu próprio atelier. Entre 2015 e o primeiro semestre de 2018, 248 alunos foram capacitados em um total de 22 turmas.

Localizado na Ladeira do Carmo, 37, Centro Histórico de Salvador, o CGB realiza cursos de joalheria básica, intermediária e avançada/cravação, lapidação básica e intermediária. Os cursos têm duração de quatro semanas, com carga horária de 80 horas. As aulas, que acontecem de segunda a sexta, nos turnos vespertino e noturno, são ministrados por professores do Senai, fruto de uma parceria que tem o objetivo de promover cursos de formação e aperfeiçoamento profissional para o segmento, já que a Bahia é um dos maiores produtores de gemas e metais preciosos do país.

A coordenadora do CGB, Mônica Correia, destaca que dos cursos de joalheria do Brasil, os ofertados pelo Centro são os mais baratos e recebem alunos de todo o país, mas também de outras nações como Colômbia, México, Argentina e Egito. “Um dos nossos orgulhos é contar que alguns dos atuais professores são ex-alunos da casa, que se qualificaram ao ponto de serem selecionados pelo Senai para atuarem como instrutores”, afirma a coordenadora do CGB, Mônica Correia.

Mairton Neves é um desses exemplos. Tornou-se professor no início deste ano graças a uma indicação do Centro e já formou três turmas ao longo de 2018. Morou durante três anos na Califórnia e lá abraçou o trabalho de lapidador, onde participava de feiras e eventos. “Precisava trabalhar, comprei ferramentas, material, fiz workshops e comecei a me dar bem. Fiquei envolvido nessa paixão e ao retornar ao Brasil em 2015 comecei a procurar uma lapidaria”. Foi quando conheceu o Centro Gemológico. “É uma satisfação imensa, é mágico, eu era aluno e me tornei professor, me sinto muito honrado em fazer parte de uma instituição reconhecida no país inteiro e ao Centro Gemológico que me indicou como professor, tenho uma profunda gratidão”, conta orgulhoso.

Uma reportagem mudou a vida de Flaviws Santos da Silva. Foi através dela que há mais de 19 anos, o hoje profissional, então com 16 anos, ficou sabendo sobre o curso de joalheria. “Desde criança que as pedras preciosas me encantavam. Estava na escola ainda quando fiquei sabendo sobre o Centro Gemológico, fui atrás e me inscrevi. De lá para cá estou na área até hoje. Percebi durante o curso que tinha habilidades que me favoreciam. Tornei-me monitor e em 2008 virei professor do curso. Atualmente não dou mais aulas, tenho meu ateliê, fabrico alianças, anéis de formatura e atendo lojistas”, conta.

A força feminina

O ateliê de Valderez Silva Macedo fica na Ladeira do Carmo e é vizinha à instituição onde a designer estudou em 2014. “Eu já mexia com joias, mas o CGB foi a melhor experiência, foi onde me desenvolvi”. Além de vender as peças confeccionadas por ela mesma, Valderez dá aula e ajuda outros joalheiros como ela. “As pessoas que saem do Centro e ainda não estão estabelecidas no mercado são indicadas a me procurarem e eu dou aula a eles, é como se fosse um reforço”, finaliza dizendo amar seu trabalho.

A designer de moda, Jannina Lima, chegou ao CGB em 2011 em busca de qualidade. Recém formada e com uma marca de acessórios, estava sempre em busca de um melhor acabamento para seus produtos. “O curso de joalheria foi o primeiro passo para minha carreira de designer de joias, ele me proporcionou a possibilidade de criar minhas próprias peças. Mudou minha vida, foi meu primeiro contato com joalheria e me apaixonei”. Após esgotar todas as possibilidades em Salvador, a profissional fez curso de designer de joias no IED de São Paulo (Istituto Europeo di Design). “A joalheria para mim é algo que perdura, que tem significado”, finaliza a dona da marca Nina Lima, que tem uma oficina na Pituba, mas também atende a domicílio.

Tradicionalmente um ofício masculino, a profissão de joalheiro tem mudado o perfil ao longo do tempo. De acordo com informações do Centro Gemológico, a mudança tem sido percebida em sala de aula e nos últimos quatro anos, a demanda aumentou muito nos cursos de joalheria. Em 2017, dos 92 alunos que fizeram curso na instituição, 39 foram mulheres, o que representa mais de 40%.

“Esse é um número bastante representativo, pois mostra que as mulheres podem estar onde elas quiserem. Apesar do curso de joalheria requerer força física, isso não é empecilho para a realização de um sonho em seguir uma nova carreira e conquistar o mercado de trabalho”, afirma Luiza Maia, secretária de Desenvolvimento Econômico, pasta que faz a gestão do Centro Gemológico.

Centro Gemológico

Karina Sena, presidente da Associação Baiana dos Produtores e Comerciantes de Gemas, Joias, Metais Preciosos Afins – PROGEMAS, afirma que o Centro Gemológico exerce um papel fundamental para aumentar a credibilidade e perpetuação do negócio no estado, já que, a transformação e lapidação da maior parte das gemas ainda são feitas em Minas Gerais e São Paulo e as fábricas são concentradas no Sudeste.

“A Bahia está entre os três principais produtores de gemas, mas infelizmente está muito no início da cadeia, por isso, a importância da parceria do CGB com o Senai. Precisamos sair de meros fornecedores do material bruto e ter mais mão de obra qualificada e profissionais capacitados para agregar valor às gemas no próprio estado”, afirma.

O CGB conta ainda com um laboratório gemológico e equipamentos de precisão, para a emissão de laudos, pareceres e certificados de autenticidade de gemas e joias. O laboratório do CGB foi criado nos moldes exigidos pelo Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos (IBGM), visando atender às necessidades de certificação das gemas produzidas na Bahia, bem como para atender todo o Nordeste do país.

Entre 2015 e o primeiro semestre de 2018, foram feitos mais de 60 mil serviços de identificação, classificação e avaliação de gemas naturais, em estado bruto, lapidado e/ou montado em joias, que foram encaminhadas ao laboratório por consumidores, empresas do setor, comunidade local, além de turistas brasileiros e estrangeiros.

Fonte: Ascom/SDE

CARANA DA JUVENTUDE MOVIMENTA CAIRU

44143050_2006057239416763_3647770146023407616_o
44149986_2006056352750185_8294226050720727040_o
44188880_2006056376083516_3895680369927651328_o
44190215_2006056246083529_901988551439155200_o
A Caravana Estadual da Juventude, em parceria com a secretaria municipal da Juventude, com os apoios do Colégio Cândido Meireles (Cecame) e das secretarias da Educação e Cultura, está em pleno movimento em Cairu (Sede). Nesta quarta-feira (17) tem mais, a partir das 13 horas, no Cecame.

Nesta terça houve a apresentação do projeto “Caravana da Juventude e seus benefícios”, abertura do Cadastro da Identidade Jovem, no Buzu da Juventude; Oficina de Turbante, Oficina de teatro, Diálogo da Juventude e Oficina de Grafite.

A programação hoje (17) à tarde continuará com as oficinas de grafite, dança, turbante, teatro e papo cabeça sobre os programas de Educação do Estado, como participar do “Partiu Estágio”; Primeiro Emprego, bolsas de estudos, ensino técnico profissional, ingresso na universidade, ID Jovem (viajar todo o Brasil de graça), isenção em concursos públicos, vestibulares e Enem etc… A Caravana da Juventude é uma realização do Governo do Estado em parceria com a Prefeitura de Cairu.

Governo mantém começo do horário de verão para 4 de novembro

O início do horário de verão será mantido no dia 4 de novembro, cancelando um novo adiamento., informou o Palácio do Planalto, nesta terça-feira (16).

Geralmente, o horário começa em outubro, mas foi adiado para novembro em virtude do segundo turno das eleições. No começo do mês, o governo federal chegou a anunciar que adiou o início do horário de verão para o dia 18 de novembro por causa de um pedido feito pelo Ministério da Educação para não prejudicar os candidatos do Enem. O exame será aplicado em dois domingos. O primeiro deles será o dia 4 de novembro.

A negativa do Planalto ao pedido veio após estudo de viabilidade feito pelos ministérios de Minas e Energia e Transportes. Segundo a assessoria do Planalto, a análise dos ministérios concluiu a inviabilidade de nova mudança no horário de verão, sem detalhes da decisão.

Na época em que foi anunciado o adiamento para 18 de novembro, a medida foi criticada pela Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear). Segundo a associação, a mudança da data acarretaria “sérias consequências” ao planejamento das operações e, consequentemente, para quem adquiriu passagens antecipadamente, afetando 3 milhões de passageiros

Correios fecham 41 agências a partir desta terça-feira

correios-barreiras1

Os Correios irão encerrar as atividades em 41 agências de 15 estados do País a partir desta terça-feira. De acordo com a estatal, as unidades que serão desativadas estão em imóveis alugados, localizadas muito próximas a outras agências (menos de dois quilômetros) e não geram lucros.

A empresa informou que os funcionários que trabalham nesses locais serão realocados.

Atualmente, os Correios têm pouco mais de 6,3 mil agências próprias em todo o país, além de 4,3 mil comunitárias, 1 mil franqueadas e 127 permissionárias.

Segundo a empresa, o encerramento das atividades dessas agências faz parte do processo de remodelagem da rede de atendimento, que prevê a substituição gradativa de unidades convencionais “por soluções diferenciadas e mais adequadas às necessidades dos clientes”.

“O processo de remodelagem prevê a ampliação dos pontos de atendimento, dos atuais 12 mil para 15 mil, em todo o país, até 2021, melhorando os serviços para a população”, informou a estatal, em nota.

Nenhuma outra agência foi desativada dentro desse processo de remodelagem do ano passado para cá e não há previsão de mais fechamentos até o fim de 2018. De acordo com os Correios, fechamentos pontuais que ocorreram foram relacionados a questões administrativas como reformas, aluguel e mudança de imóvel.

Serão fechadas agências nos estados do Amazonas, da Bahia, do Ceará, do Espírito Santo, de Goiás, do Piauí, de Minas Gerais, do Mato Grosso do Sul, de Mato Grosso, do Pará, do Piauí, do Rio de Janeiro, de Roraima, do Rio Grande do Sul e de São Paulo.

44129425_1880493362028634_3362383734006349824_n

TSE desenvolve aplicativo para mesários comunicarem problemas com urnas

por Letícia Casado | Folhapress

f21c24bdbeb19d5d6db8ce68a367d8fb-radio-gvc-106-1-fm

O ministro Raul Jungmann (Segurança Pública), disse nesta segunda (15) que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) está desenvolvendo um aplicativo para os mesários conseguirem se comunicar em tempo real com a Justiça Eleitoral no segundo turno das eleições, marcado para 28 de outubro.

Segundo ele, o objetivo é fazer com que “toda e qualquer denúncia contra as urnas possam ser comunicadas ao juiz eleitoral e também aos órgãos de segurança para que, se for necessário, abram investigação”.

Pelo aplicativo, o mesário vai conseguir se comunicar imediatamente com a Justiça Eleitoral e com os órgãos de segurança.

“É uma forma de responder com velocidade a toda e qualquer denúncia que venha a ser feita e que possa ser rapidamente apurada”, afirmou. “É preciso ter a velocidade necessária para tirar qualquer tipo de dúvida”, acrescentou.

A iniciativa ocorre depois de o TSE ter sido inúmeras vezes criticado por eleitores, que levantaram suspeitas sobre a segurança da urna eletrônica durante a votação do primeiro turno, em 7 de outubro.

Ele disse que a preocupação das autoridades é tirar qualquer tipo de dúvida do eleitor e apurar todas as denúncias de fraude, assim como resolver problemas mecânicos das urnas.

Assim, destacou, a meta é “ter o máximo de atendimento e a máxima resposta a todo e qualquer eleitor que, ao sentir que teve um problema ou entender que houve fraude, que a gente possa apurar e resolver”.

Jungmann ressaltou que a proliferação de fake news é uma realidade com a qual a sociedade precisa lidar, mas que se torna um problema quando a notícia falsa induz e simula uma fraude que não existe.

“Se a fraude existe, deve ser denunciada. Agora, o que não pode ser aceitável é criar fake news para induzir a fraude”, afirmou.

Na noite desta segunda, Jungmann participou de uma reunião organizada pela presidente do TSE, ministra Rosa Weber, com o diretor-geral da PF, Rogério Galloro, e o secretário nacional de Segurança Pública, Brigadeiro João Tadeu Fiorentini, além de técnicos do TSE.

Os ministros pretendem anunciar uma orientação conjunta para auxiliar os mesários sobre como proceder em caso de denúncia contra urnas eletrônicas no dia da votação.

“É a integração da Justiça Eleitoral com os órgãos de segurança”, destacou Jungmann.

Durante o segundo turno, o TSE vai disponibilizar servidores da área técnica aos dois centros que monitoram a segurança das eleições para ajudar a identificar com maior rapidez informações falsas e permitir que o tribunal as desminta publicamente com celeridade.

“Toda e qualquer decisão será tomada com maior velocidade”, afirmou.

Antes de se reunir com Jungmann, Rosa Weber fez uma videoconferência com presidentes dos TRE (tribunais regionais eleitorais) para fazer um balanço do primeiro turno das eleições.

Morre aos 78 anos o jornalista Gil Gomes

gil-gomes-15102018212705336
O jornalista Gil Gomes, 78, morreu nesta terça-feira (16) em São Paulo, vítima de um câncer. Famoso pelas crônicas policiais, o radialista havia sido internado nesta segunda-feira após passar mal em sua residência no bairro Jardim da Saúde, na zona sul.

Gil foi atentido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levado ao Hospital São Paulo. A morte foi confirmada nesta madrugada.

Filho de imigrantes italianos, Cândido Gil Gomes Jr. nasceu no bairro da Mooca. Dono de uma voz potente, iniciou a carreira radiofônica como locutor esportivo. Depois, fez sucesso como repórter policial. O suspense utilizado nas narrativas e o tom de voz característico o marcaram na história da crônica policial no Brasil.

Nos anos 1990, migrou para a TV ao integrar a equipe do “Aqui Agora”, do SBT. Segundo o G1, ele ficou afastado das telinhas por mais de dez anos por problemas de saúde relacionados ao Mal de Parkinson, diagnosticado em 2015.

FT6

FT5