Coleta e troca do óleo de cozinha

Bom para você melhor para o meio ambiente. More »

Violência Contra Mulher

O orgulho não foi feito para o homem, nem a ira violenta para os nascidos de mulher. (Eclesiástico 10,18) More »

Mais Cultura no Bairro da Bolivia

Aulas pensadas para trabalhar a Saúde. Desde a adolescência até a terceira idade. More »

Blitz Educativa

“Proteja-se! Use o cinto de segurança” More »

ESCOLA COMUNIDADE QUILOMBOLA

Comunidade Quilombola com melhor educação. More »

 

TSE suspende três propagandas de Aécio por não terem ‘cunho propositivo’

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) suspendeu três propagandas do candidato Aécio Neves (PSDB) após os ministros julgarem que elas não tinham cunho propositivo. Com as decisões divulgadas terça-feira (21), são sete propagandas de Aécio suspensas pelo TSE após a nova orientação do tribunal, determinada na semana passada. Em uma das propagandas, considerada “vazia de conteúdo propositivo”, além de “elaborada em tom jocoso”, pelo ministro Herman Benjamin, a coligação de Aécio diz que “Dilma e o PT estão fazendo a campanha mais baixa, agressiva e mentirosa de toda a história recente democrática do Brasil” e, ao final, afirmam que “Aécio é o Brasil sem medo do PT”. Benjamin ainda suspendeu uma peça publicitária que insinuaria o retorno do ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, condenado no processo do mensalão, a um eventual segundo governo de Dilma Rousseff. No trecho, a propaganda diz que a candidata petista mandou embora o ministro da Fazenda exatamente em um período de inflação e diz que “José Dirceu está saindo da cadeia, não sei se ela está esperando ele para assumir”. A terceira peça, suspensa pelo ministro Tarcísio Vieira, mostra Dilma tecendo elogios a Aécio quando ele ainda era governador de Minas Gerais. A propaganda foi exibida em 19 de outubro, no rádio, em vários horários. A defesa de Dilma argumentou que foram usados “artifícios para tecer elogios” a Aécio, “na medida em que se valeram de áudio descontextualizado”. No dia 16, o ministro Dias Toffoli declarou que, a partir da decisão de suspender um programa de rádio de Dilma Rousseff , uma jurisprudência era criada para a questão e que as campanhas políticas deveriam ser “programáticas e propositivas”, e não baseadas em ataques entre os candidatos. Após o entendimento da Corte, quatro propagandas de Dilma Rousseff também foram suspensas. Informações da Agência Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>