Coleta e troca do óleo de cozinha

Bom para você melhor para o meio ambiente. More »

Violência Contra Mulher

O orgulho não foi feito para o homem, nem a ira violenta para os nascidos de mulher. (Eclesiástico 10,18) More »

Mais Cultura no Bairro da Bolivia

Aulas pensadas para trabalhar a Saúde. Desde a adolescência até a terceira idade. More »

Blitz Educativa

“Proteja-se! Use o cinto de segurança” More »

ESCOLA COMUNIDADE QUILOMBOLA

Comunidade Quilombola com melhor educação. More »

 

Lama de Mariana não atingiu Abrolhos, diz laudo de contratada da Samarco

Um laudo de uma empresa contratada pela Samarco apontou que os sedimentos da barragem de Fundão em Mariana, Minas Gerais, não atingiram as águas do arquipélago de Abrolhos, no litoral sul baiano. O levantamento, emitido no dia 20 de janeiro, foi divulgado nesta terça-feira (26). Conforme o laudo emitido pelo laboratório ALS Corplab, com sede em São Paulo, não houve alteração do mar de Abrolhos que estivesse relacionada ao rompimento da barragem de Fundão. Quem levantou a suspeita de que os sedimentos tivessem chegado ao sul da Bahia foi levantada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), no início do mês. No dia 8, o governo baiano chegou a divulgar imagens de uma mancha suspeita no entorno de Abrolhos. Ainda de acordo com o laudo, testes da água coletada em Abrolhos não detectaram presença de óxido de ferro, um dos elementos que remeteriam à pluma de turbidez (massa de água com sedimentos) do Rio Doce. A Samarco também declarou que os acompanhamentos diários feitos indicam que a turbidez das praias no norte do Espírito Santo e sul da Bahia está dentro da normalidade, o que torna improvável uma presença da pluma na região de Abrolhos.Abrolhos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>