Coleta e troca do óleo de cozinha

Bom para você melhor para o meio ambiente. More »

Violência Contra Mulher

O orgulho não foi feito para o homem, nem a ira violenta para os nascidos de mulher. (Eclesiástico 10,18) More »

Mais Cultura no Bairro da Bolivia

Aulas pensadas para trabalhar a Saúde. Desde a adolescência até a terceira idade. More »

Blitz Educativa

“Proteja-se! Use o cinto de segurança” More »

ESCOLA COMUNIDADE QUILOMBOLA

Comunidade Quilombola com melhor educação. More »

 

Equipamento vai beneficiar 15 municípios e tem por objetivo realizar exames de média e alta complexidade

Por Magno Jouber

Começou na última quinta-feira (13) as intervenções no Centro Social Urbano de Valença (CSU), para a construção da Policlínica Regional. A Empresa KG Construções Ltda, vencedora da licitação para construção do equipamento, já está com suas máquinas fazendo a adequação da área para dar início à obra. Os trabalhos da KG antecipam a vida do governado Rui Costa ao município, na próxima quinta-feira (20), para assinar a ordem de serviço.
1_policlinica
A Policlínica é a mais nova aposta do governo do estado para melhorar os serviços de saúde na Bahia. Para isso, os municípios de Valença, Taperoá, Nilo Peçanha, Ituberá, Igrapiúna, Camamu, Cairu, Gandu, Piraí do Norte, Teolândia e Wenceslau Guimarães formalizaram no último dia 06, o Consórcio Interfederativo de Saúde para gestão da Policlínica. Regulamentados por meio de lei estadual sancionada pelo governador em setembro de 2015, os consórcios de saúde são voltados para a ampliação e descentralização de serviços de saúde e o reequilíbrio financeiro dos municípios. O modelo prevê a construção de policlínicas na Bahia com até 13 especialidades e 32 serviços e equipamentos – tomógrafos, ressonância magnética, rastreamento de câncer de mama, entre outros exames.

A Policlínica Regional custará cerca de R$ 20 milhões, entre obras e equipamentos que serão assumidos integralmente pelo Governo do Estado. Já a manutenção será compartilhada entre o Estado, que financiará 40% dos custos, e os municípios consorciados, que vão cobrir os 60% restantes, proporcionalmente à sua população.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>